domingo, 14 de agosto de 2011


Lí essa frase em leituradiaria.com.br,e me fez refletir:

" Quando o ego se submete ao id, torna-se imoral e destrutivo; ao se submeter ao superego, enlouquece de desespero, pois viverá numa insatisfação insuportável; se não se submeter ao mundo, será destruído por ele."

Me assustei com a possibilidade da verdade, aliás ultimamente, verdades tem me causado medo, fico pensado se não é esse ID, "maldoso" que passamos a vida a proteger, já ouvi de pessoas diferentes que não somos bons, e que acreditar nisso é uma ilusão, e quer saber no auge da minha visão cor de rosa da vida, começo a acreditar nisso...

Pela frase acima em questão, enlouquecemos de desespero quando não podemos ser aquilo que somos, e passamos a vida a fingir o que não queremos ser... Pode parecer louca essa afirmação, acho até que ando nesse momento de insatisfação, mas reflexões pessoais a parte, o que quero entender é: em que momento nos perdemos? em que momentos nos desesperamos? em que momento me deixo destruir pelo mundo?

Sinceramente não sei, aliás como disse a um amigo, só tomei metade do comprimido da Matrix (assistam ao primeiro, e irão entender), por medo? insegurança? Ah! sei lá, acho que todos tomamos esse comprimido partido, é seguro manter-se no limite da realidade e do irreal, ou não...

Quer saber, sejam o que o mundo lhes pede, mas não percam uma pontinha de loucura... Enfim sejam EGO, mas sem perder uma pontinha do seu ID...

Nenhum comentário:

Postar um comentário