sábado, 31 de dezembro de 2011

...e o acaso...



O ano enfim está no fim... E nesse finalzinho mil reflexões me veem a mente, reflexões, decepções, derrotas, vitórias, amores, desamores, inseguranças, certezas reais e imaginárias, voos baixos, tombos altos... E ao fundo o som da melodia de um "Epitáfio" Titânico...

Uma realidade que me bate ao rosto, ora como uma suave brisa, ora como um forte temporal, mas sem nunca deixar de ser real... O acaso, segundo meu "epitáfio", irá me proteger, das burradas, dos "voos solos com participações especiais", mas no fim uma segurança mesmo que irreal, mas só enquanto eu "andar distraído"...

Eu devia ter feito tanta coisa esse ano que acabou... "Amado mais, arriscado mais, queria ter aceitado as pessoas como elas são", porque no fim cada um sabe de si... Devia ter me importado menos... Mas sempre terei a proteção do bem querido acaso...

Enfim, "cada um sabe, a alegria e a dor que traz no coração", e com essa certeza espero que no próximo ano, meu "epitáfio" seja mais otimista, mais cheio de uma fé distraida, protegida pelo acaso, sem tantos "devia" ou "queria", porque como disse uma vez: PREFIRO A ANSIEDADE DO TENTEI, DO QUE A ANSIEDADE DO NÃO FIZ...

E você, qual "ansiedade" prefere? A vida está ai, um novo começo, um novo ano, uma nova vida... Se será nova só o "acaso", primo do "destino" para dizer, enquanto isso continue "andando distraido"...

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Uma carta à um amigo...


Oi Amigo, 

Estava aqui ouvindo Titãs, e de repente começa a tocar Epitáfio, acho que conhece a música (http://www.youtube.com/watch?v=JHkIa6HTjRM), e percebi que ela tem muito haver com esse ciclo que andamos conversando de uns tempos pra cá, do que já fizemos, do que queremos fazer e de como queremos viver...

Não entendo porque essa nossa mania de deixar pra se arrepender do que não fez ao invés de se arrepender do que fez, pensa comigo a sensação é muito mais divina e maravilhosa, ambas causam angústia, então porque não viver a angústia do fazer do que a angústia do imóvel?

Não quero um epitáfio em minha lápide como o da música - "devia ter..." -  ah, não quero mesmo, quero viver tudo intensamente e loucamente, por isso te chamo tanto pra viver comigo - "devia ter me importado menos com problemas pequenos" - viver comigo no sentido de curtir a vida, assim como eu ando fazendo, pode ser um mecanismo de defesa? Pode, mas tá tão bom assim, pq complicar? E como pular de paraquedas (por isso quero tanto) é uma coisa que vou levar pra vida toda, a sensação de ter asas sem te-las, a sensação de ser livre, sendo... Porque a livre a gente é, só que vira escravo de um monte de demandas pequenas que vem de dentro pra fora...

Se o "acaso vai me proteger enquanto eu andar", não tenho que ter medo dele, ou me angustiar com  futuro, ele sempre vem, é igual uma bolinha de tenis que você joga no paredão, você pode não saber como ela vai voltar, mas a energia foi gasta, então bora aproveitar... Porque como diria Cazuza; "o tempo não para", então ... aaahhhh vou me repetir... ARRISQUE-SE e VIVA!!!!


Bjus te adoro de montão amigo!!!! Sempre....

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Alma...

É, o ano está acabando... E só quem me conhece bem, sabe o quanto esperei por esse fim, engraçado, porque finais sempre me deprimem, mas este me deixou mais reflexiva... Fiz uma análise de tudo que passei, de tudo que vivi, e de cada pessoinha maravilhosa que foi acrescentada a minha vida esse ano e que levarei para todos os outros anos...

Aliás, muitas coisas foram vistas por mim de uma outra forma, algumas se modificaram completamente, outras ficaram com formas distorcidas, teve até mesmo aquelas que eu nem sei explicar, teve as surpresas, as desejadas, enfim, milhões de coisas, que couberam dentro de minha alma, e que eu percebi que acabei transformando em melodia através das letras de músicas, quer ver só?

Comecei o ano com "Velha infância" dos Tribalistas, (http://www.youtube.com/watch?v=Il6OwhsebMc), passei para a melodia maravilhosa da Paula Fernandes, "Prá você" (http://www.youtube.com/watch?v=wn-7jpGEa9U), depois disso, passei um tempo no silêncio angustiante da minha tristeza, e de repente surge Adele, com seu "Rolling in the Deep" (http://www.youtube.com/watch?v=rYEDA3JcQqw&ob=av3e)que me deu força, ai veio a fúria de "Me adora" e "Admirável Chip Novo" da Pitty (http://www.youtube.com/watch?v=66PrK9b_WD8&ob=av3e e http://www.youtube.com/watch?v=aXJ_Ub1xbhw), ai sem muitas explicações fui para o "Tche tche re re tche tche" do Gustavo Lima (http://www.youtube.com/watch?v=G1aHsYIBjI0), ai fiquei um tempinho nessa parada sertaneja... (kkkkkkkkkkkkkk) - (http://www.youtube.com/watch?v=JMnFSyb-efI&feature=related) entre outros... kkkkkkk

Agora as coisas estão voltando ao eixo... Cazuza, Titãs, Paralamas, Barão, Nenhum de Nós, Biquini Cavadão... e AGORA ESTOU NO MEU MOMENTO CALMARIA:

Veja que cada uma delas é um pedacinho da minha alma.... E quais são as suas?

domingo, 18 de dezembro de 2011

Seja do tamanho dos seus sonhos Alice...



" Eu... eu... nem eu mesmo sei, nesse momento... eu... enfim, sei quem eu era, quando me levantei hoje de manhã, mas acho que já me transformei várias vezes desde então. " (Lewis Carroll - Alice no País das Maravilhas) 

Quantas vezes, você se sentiu assim? Isso não é coisa de um dia, sim de uma vida, essa inconstância constante, causa uma angústia tremenda quando levada tão a séria... Raul Seixas já dizia que preferia ser a Metamorfose Ambulante, e eu particularmente acho que é assim mesmo... 

Transformar-se é divino, pense na borboleta, e não estou falando de uma simples forma física, porque nada adiantaria a lagarta transformar-se em borboleta se continuasse a pensar "rastejantemente"... Ela evoluiu e agora tem asas, e isso todos nós temos, uns usam outros não...


A dúvida de Alice é justificável, quem nunca se olhou no espelho e não se reconheceu? Faça o teste, olhe nos olhos da imagem que te fixa no frio vidro que reflete naquele momento sua alma... É assustador, mas também é maravilhoso...


Renove-se sem medo, encare a vida sem sustos, e deixe-se levar pela mais graciosa ternura que é ser para sempre, "essa metamorfose ambulante".... 


E como eu não me canso de repetir, "seja do tamanho do seus sonhos", e olha sonhe grande, você pode...

domingo, 11 de dezembro de 2011

O Admirável Chip Novo na Terra de Oz...


"Pane no sistema, alguém me desconfigurou/ Aonde estão meus olhos de robô?/ Eu não sabia, eu não tinha percebido/ Eu sempre achei que era vivo/ Parafuso e fluído em lugar de articulação/ Até achava que aqui batia um coração/ Nada é orgânico, é tudo programado/ E eu achando que tinha me libertado/ Mas lá vem eles novamente/ E eu sei o que vão fazer: Reinstalar o sistema..."

Rotina é uma droga... Apega-se a ela quem tem medo de viver, quem tem medo de sonhar, quem tem medo de si mesmo... Encaixar-se em um sistema é confortável, uma zona de conforto, um mecanismo de defesa...

Momento de reflexão sobre a realidade que nos rodeia e complicado, se as vezes uma simples brisa é o suficiente para quebrar a rotina, imagine um furacão? Um alguém que entra na sua vida e te desconfigura por completo, te mostra e se mostra, e de homem de lata você passa a leão, mas com essência de espantalho (leia-se O Mágico de Oz). Não se perca, não se limite, apenas busque como Dorothy, seja o caminho de casa, seja o caminho para a sua vida...

Quando abrem-se os olhos e a rotina se descortina, tudo é assustador, mas a sensação é divina, e por ser divina sempre terá alguém para te trazer de volta a realidade sufocante, mas lembre-se que cada homem é do tamanho do seu sonho. Então reflita qual é o tamanho do seu sonho...

Durante um tempo, com certeza ficará com raiva "daquele" que te tirou da realidade, daquele que te mostrou como as coisas deveriam ser e você fingia não ver, mas com o tempo verá que o que realmente quer e deseja, é nunca mais volta ao velho jeito de viver, saiba que não será fácil, mas também não será impossível, o impossível só existe para aqueles que não tentam, para aqueles que continuam com medo de viver, para aqueles que acham que viver na mediocridade é como uma taça de cidra... Desculpe, mas prefiro uma boa taça de champanhe, que inebria suavemente, e ainda faz cosquinhas do céu da boca...

E você, o que prefere? Cidra ou champanhe? A escolha é sua...