sábado, 31 de dezembro de 2011

...e o acaso...



O ano enfim está no fim... E nesse finalzinho mil reflexões me veem a mente, reflexões, decepções, derrotas, vitórias, amores, desamores, inseguranças, certezas reais e imaginárias, voos baixos, tombos altos... E ao fundo o som da melodia de um "Epitáfio" Titânico...

Uma realidade que me bate ao rosto, ora como uma suave brisa, ora como um forte temporal, mas sem nunca deixar de ser real... O acaso, segundo meu "epitáfio", irá me proteger, das burradas, dos "voos solos com participações especiais", mas no fim uma segurança mesmo que irreal, mas só enquanto eu "andar distraído"...

Eu devia ter feito tanta coisa esse ano que acabou... "Amado mais, arriscado mais, queria ter aceitado as pessoas como elas são", porque no fim cada um sabe de si... Devia ter me importado menos... Mas sempre terei a proteção do bem querido acaso...

Enfim, "cada um sabe, a alegria e a dor que traz no coração", e com essa certeza espero que no próximo ano, meu "epitáfio" seja mais otimista, mais cheio de uma fé distraida, protegida pelo acaso, sem tantos "devia" ou "queria", porque como disse uma vez: PREFIRO A ANSIEDADE DO TENTEI, DO QUE A ANSIEDADE DO NÃO FIZ...

E você, qual "ansiedade" prefere? A vida está ai, um novo começo, um novo ano, uma nova vida... Se será nova só o "acaso", primo do "destino" para dizer, enquanto isso continue "andando distraido"...

Nenhum comentário:

Postar um comentário