terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Uma carta à um amigo...


Oi Amigo, 

Estava aqui ouvindo Titãs, e de repente começa a tocar Epitáfio, acho que conhece a música (http://www.youtube.com/watch?v=JHkIa6HTjRM), e percebi que ela tem muito haver com esse ciclo que andamos conversando de uns tempos pra cá, do que já fizemos, do que queremos fazer e de como queremos viver...

Não entendo porque essa nossa mania de deixar pra se arrepender do que não fez ao invés de se arrepender do que fez, pensa comigo a sensação é muito mais divina e maravilhosa, ambas causam angústia, então porque não viver a angústia do fazer do que a angústia do imóvel?

Não quero um epitáfio em minha lápide como o da música - "devia ter..." -  ah, não quero mesmo, quero viver tudo intensamente e loucamente, por isso te chamo tanto pra viver comigo - "devia ter me importado menos com problemas pequenos" - viver comigo no sentido de curtir a vida, assim como eu ando fazendo, pode ser um mecanismo de defesa? Pode, mas tá tão bom assim, pq complicar? E como pular de paraquedas (por isso quero tanto) é uma coisa que vou levar pra vida toda, a sensação de ter asas sem te-las, a sensação de ser livre, sendo... Porque a livre a gente é, só que vira escravo de um monte de demandas pequenas que vem de dentro pra fora...

Se o "acaso vai me proteger enquanto eu andar", não tenho que ter medo dele, ou me angustiar com  futuro, ele sempre vem, é igual uma bolinha de tenis que você joga no paredão, você pode não saber como ela vai voltar, mas a energia foi gasta, então bora aproveitar... Porque como diria Cazuza; "o tempo não para", então ... aaahhhh vou me repetir... ARRISQUE-SE e VIVA!!!!


Bjus te adoro de montão amigo!!!! Sempre....

Nenhum comentário:

Postar um comentário