quarta-feira, 11 de julho de 2012

Maravilhosa Mágica


Buscam tantas explicações a partir de desconfianças que fica complicado saber o que é do seu, o que é do outro, o ser humano não se conhece nada sabe de si mesmo, mas partindo da intuição deduz, sofre, fica feliz, engana, se engana...

Hoje se faz tempestades internas por pequenas deduções, e mesmo sendo a dor inevitável e o sofrimento opcional, a dinâmica do ser humano é essa, sofrer por antecipação, por uma imagem, um som, um gesto, tudo machuca, tudo destrói, e então a depressão torna-se enfim o mal do século.

Quem nunca quis ser outra pessoa em um momento de dor? Desconectar-se de si mesmo, desintegrar-se, morrer ou mesmo matar, quando se pensa que já se sabe de tudo...

Olhe a sua volta, e veja quantas pessoas buscam a felicidade total, buscam o amor eterno e perfeito, sem se darem conta que tudo isso é uma mera utopia, e nessa busca, perdem a simplicidade de um dia ensolarado, vento nos cabelos, o abraço de quem se sente saudade, não se valorizam os pequenos milagres, e isso torna valido e mais importante o vazio de um copo meio vazio que a positividade de um copo meio cheio.

Sim, Guimarães Rosa estava certo quando disse; "Eu quase que nada sei, mas desconfio de muita coisa...", o que ele não disse explicitamente foi: não fundamente sua vida no apenas desconfiar, nem apenas no sentir, mas no simples carinho de se auto conhecer, maravilhosa mágica...

Nenhum comentário:

Postar um comentário