segunda-feira, 16 de julho de 2012

Não seja camaleão...

Em meus passeios pelo Facebook, me deparei com uma frase que me fez refletir de uma forma contrária ao que se propunha: "às vezes a gente se cansa de alguma peça de roupa, mas pensa que poderia voltar a amá-la se pudesse apenas trocar a sua cor..." (Infelizmente, anotei a frase e não de onde tirei, então quem souber me avisa), o caso é, a frase fala de roupa, eu vou falar de pessoas...

Complicado quando se fala de algo tão importante, pois quando se fala de alguém, não se fala da pessoa em si, mas de sua essência, e assim como o camaleão, cada um troca de capa para se proteger...

Refletir, reformular, mudar, vira um jogo, joga-se com a proteção, com o não revelar-se, joga-se com o ser aceito em uma sociedade, agir de uma forma para ser aceito, achando que isso é normal, por amor o ser humano muda, mas por amor também se aceita o outro como é...

Um camaleão, como já disse, troca de cor para se proteger, então como já disse Sartre, "o importante não é o que fazem com você, mas o que você faz com o que fazem de você", supere, seja a sua essência, sem se importar com a cor que ela tem, afinal alguns gostam de azul, outros de amarelo, e mais um punhado de cores ai que fazem a diferença...



Nenhum comentário:

Postar um comentário