domingo, 4 de agosto de 2013

Se eu não tivesse...

    Foto: Daniel Silva

Outro dia me vi questionando o tal do "livre arbítrio", não por falta de fé em Deus, isso eu tenho muita e a questão aqui nem é religião, mas por pensar em como essa coisa toda funciona... Sim, fiz Filosofia, Psicologia, estudei História da Arte, entendo de um bocado de coisas, outra nem tantas, e esse tal de Livre Arbítrio para mim é um mistério puro...

Porém hoje li uma frase que me fez pensar sobre isso e me questionar se ele, o livre arbítrio, realmente não é uma coisa maravilhosa: "e se eu tivesse ido, eu nunca saberia o que é..."

Vivemos de escolhas, a vida é feita de escolhas e as vezes nos deparamos com pensamentos solto e sentimentos sobre "eu não deveria ter feito aquilo" ou "eu falei demais..." e mesmo "vou me arrepender disso par o resto da minha vida...". Concordo que nem tudo é bom, mas até as coisas que determinamos como ruins acompanhadas de coisas boas, basta um pensamento solto e uma pequena reflexão para se perceber isso.

Se não tivesse furado a dieta não teria superado a TPM ou um dia ruim, uma maçã infelizmente não tem o mesmo poder, se não tivesse se perdido no trânsito não teria descoberto um caminho novo, se não tivesse se envolvido com a pessoa errada não saberia valorizar a pessoa certa, se não tivesse perdido aquele gol no final do campeonato... Bom... ai é um pouco complicado, mas deve ter alguma coisa boa...

Muitas pessoas passam a vida correndo atrás de borboletas achando que essa é a escolha certa, mas acho na minha humilde opinião, que plantar um jardim é a melhor coisa que se faz, escolher as flores, e o aroma que se quer perto de você, automaticamente sua vida e sua alma transbordará para ser dividida. Não prometo um jardim com flores sem espinhos, mas o tal do livre arbítrio te proporcionará auto estima, maturidade, segurança...

É, são muitos os "e se eu tivesse ido, eu nunca saberia o que é...", então não se culpe ou mesmo se questione de uma escolha, simplesmente tire boas lições de cada momento vivido, de cada sentimento que foi experimentado...

E antes que me pergunte, sim se eu tivesse tirado a minha carteira de motorista não gastaria tanto com táxi... Mas também não teria ouvido tantas histórias de vida, não teria visto tantas coisas pela janela, ou me dado tempo de uma última leitura em um livro, em fazer uma última anotação e mesmo responder a um e-mail importante...

Sim... "Se eu tivesse ido, eu nunca saberia o que é..."

*Frase retirada do livro: Não comi, não rezei mas me amei de Gisela Rao