segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A menina


Mais uma manhã normal, levantei como todos os dias, escovei os dentes, lavei o rosto, brinquei com o cachorro, peguei o gato no colo e fiz carinho... Me olhei no espelho e fui desembaraçar os cabelos, esses nós eu ainda dou um jeito, já a vida... 

De repente me deparei com um fio branco em meus cabelos, não ousei tocar, não é o primeiro, mas este estava mais branco que os outros que já vi, por um segundo contemplei minha imagem no espelho, e a menina que um dia eu fui surgiu naquele reflexo: a menina que adorava brincar na chuva e corria para o quintal em busca de diversão, que não se importava com as broncas da mãe, com a lama e muito menos tinha medo de trovões ou resfriados; a menina que fazia uma "casinha" com os lençóis e se tornava rainha de um castelo imaginário, onde seus súditos eram ursos de pelúcia e bonecas; a menina que adorava ir a praia não se importando com a areia nos cabelos; a menina que aprendeu a andar de bicicleta com o pai, e ganhou uma boneca quando aprendeu "sozinha" a andar sem rodinhas... 

Pisquei rapidamente, e me vi outra vez olhando para o espelho e para aquele fio de cabelo branco idiota, suspirei profundamente, e resolvi deixar o fio onde estava...
Sai do banheiro e encontrei minha mãe na cozinha:

- Olha mãe, apareceu outro cabelo branco... Esse eu não vou tirar...
- Deixa eu ver, aaaah larga de ser lerda! Isso não é cabelo branco! É pelo do gato!!
Peguei aquele pelo branco e refleti: preciso ir ao oculista urgentemente!!! E ao salão, já que como diz o ditado popular: mulher não fica "velha" fica LOIRA!!!